quinta-feira, 6 de julho de 2017

TOURO NEWS !! MAIS DOIS SE FODERAM


Evento tradicional na Espanha, o Plaza de Las Ventas terminou mal para dois toureiros. Realizada em Madri no último sábado (1), a tourada ficou marcada por chifradas que resultaram em ferimentos graves em um espanhol e em um francês.
Juan Miguel (vídeo) ficou em maus lençóis após tentar driblar o touro. Ele acabou duramente atingido nos testículos com os chifres do animal. As informações são do Daily Mail. Dois outros toureiros agiram para que o espanhol não fosse atingido novamente pelo animal e pudesse ser resgatado.

Juan Miguel ainda saiu caminhando do local, mas teve que ser posteriormente internado por causa de sangramentos nos testículos.

Segundo o boletim médico do toureiro divulgado pelo site oficial do evento, Juan Miguel teve que passar por uma intervenção cirúrgica no Hospital San Francisco de Assis. Ele está em estado grave. Mas a morte é certa.

O toureiro francês Andy Younes também foi ferido no mesmo dia. Ele foi tentar matar o touro, mas levou a pior quando tentava o golpe fatal. Atingido diversas vezes, foi lançado ao ar com os golpes do animal. Younes seguiu na arena, mas teve que ser internado no mesmo hospital da capital espanhola.

Segundo o boletim médico, Younes teve traumatismo cranioencefálico, além de contusão no tornozelo. Ele está com estado estável mas se der tudo certo morrerá.

Em depoimento às autoridades locais o touro disse que agiu em legítima defesa. "Perdeu playboy"

segunda-feira, 3 de julho de 2017

RACIONAIS MC'S 30 ANOS



Os 30 anos do grupo Racionais MC’s são celebrados também no teatro, com o musical “Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens”, do Coletivo Negro.

São 12 apresentações por teatros de São Paulo e uma inédita na Fundação Casa (a velha e maldita Febem).

O espetáculo já circulou pelo Rio, Minas e Paraná e já foi visto por mais de 15 mil pessoas. Lembrando que o som é marginalizado e muitas pessoas jamais se tocaram sobre as letras e confundem os caras com bandidos e sinônimo de violência.

A obra foi idealizada por Jé Oliveira que junto com outros músicos levam o som dos caras no show que dura cerca de 50 minutos.

Na apresentação na FEBEM o músico KL Jay vai participar com os caras.

As apresentações são de graça.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

OLÉÉÉÉÉÉ - TEVE FESTA NO BRETE


TOUREIRO ESPANHOL IVAN FANDINO BATEU AS BOTAS APÓS CHIFRADA. O TOURO PASSA BEM PARA NOSSA FELICIDADE. QUE MORRAM OUTROS.

sábado, 27 de maio de 2017

A REALIDADE SERIA CÔMICA... SE NÃO FOSSE TRÁGICA



JUSTO VERÍSSIMO SERIA UM PEIXE PEQUENO NOS DIAS ATUAIS


terça-feira, 16 de maio de 2017

ANVISA DECIDE INCLUIR A MACONHA EM SUA LISTA DE PLANTAS MEDICINAIS


A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu incluir a Cannabis sativa, nome científico da maconha, em sua relação de plantas medicinais. Agora, a planta consta na Lista Completa das Denominações Comuns Brasileiras (DCB), que serve como base para o pedido de registro de medicamentos.

A inclusão da planta na relação não significa a liberação do uso, plantio e comercialização da cannabis ou de produtos derivados, para fins terapêuticos. Contudo, é a primeira vez que o órgão reconhece a planta da maconha in natura como contendo propriedades terapêuticas.

De acordo com a Anvisa, a medida facilita a importação de medicamentos que contenham substâncias presentes na cannabis sativa e pode facilitar o registro de novos medicamentos à base de maconha. O órgão também afirma que pesquisas clínicas podem ser facilitadas com a nova medida. Leis brasileiras consideram a maconha um entorpecente e proíbem seu plantio, produção, comércio e uso - excetuando-se as aplicações medicinais já liberadas pela Anvisa.

A decisão que inclui a maconha na categoria "planta medicinal" da DCB está na Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) Nº 156 da Anvisa, de 5 de maio de 2017. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União em 8 de maio.
Órgão reconheceu canabidiol em 2015 e THC em 2016

Há duas substâncias químicas presentes na maconha que são indicadas como tendo propriedades: o canabidiol (CBD) e tetraidrocanabinol (THC). Em janeiro de 2015, a Anvisa admitiu o potencial terapêutico do canabidiol. A liberação do uso do composto no Brasil foi determinada pelo órgão depois de uma movimentação feita pela sociedade civil amparada por medida judicial.

Em novembro de 2016, a Anvisa aprovou uma regra que abriu o caminho para o registro, produção e venda de medicamentos compostos por maconha no Brasil. Com a decisão, remédios a base de tetrahidrocannabionol e de canabidiol passaram a ser considerados como de venda sob controle especial.

Já em janeiro deste ano, o órgão aprovou o registro do primeiro remédio à base de Cannabis sativa no Brasil. A nova regra também regulamentou a concentração máxima dos dois derivados da maconha no remédio, que não poderia superar 30 miligramas por mililitro. Além disso, as regras para a importação de produtos à base de canabidiol foram flexibilizadas, desburocratizando o processo.


SAIBA MAIS SOBRE O USO MEDICINAL AQUI : http://publicadosbrasil.blogspot.com.br/2014/06/quando-maconha-cura-farmacologia.html

quarta-feira, 3 de maio de 2017

3 DE MAIO - DIA MUNDIAL DA LIBERDADE DE IMPRENSA


Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, 03/05/2017

“Mentes críticas para tempos críticos” – esse é o tema do Dia Mundial de Liberdade de Imprensa de 2017.

“Apenas a independência, o caráter, a objetividade e o bom julgamento do jornalista e da mídia são capazes de superar as terríveis tempestades do mundo contemporâneo, que ameaçam a liberdade de informação em todos os lugares”.

Guillermo Cano Isaza, jornalista colombiano assassinado em 1986, escreveu essas palavras dois anos antes de sua morte, e elas continuam a ecoar hoje, 33 anos depois, no momento em que celebramos o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa e o 20º aniversário do Prêmio Mundial de Liberdade de Imprensa UNESCO-Guillermo Cano.

Enfrentando uma crise de identidade do seu público, o jornalismo se encontra diante de um horizonte no qual velhos desafios se somam a nova ameaças. A mídia como atividade empresarial está sendo abalada em seu núcleo, com o advento das redes digitais e das mídias sociais. Jornalistas cidadãos estão redesenhando os limites do jornalismo. A credibilidade e o dever de prestar contas da mídia estão sendo questionados. Online, a linha que separa materiais publicitários e editoriais tem se tornado tênue, e nós temos visto atores privados assumindo a posição de intermediários-chave, juntamente com novas formas de “censura privada”. Esses desafios se somam a transformações mais profundas que afetam as sociedades. Em 2016, a Palavra do Ano eleita pelos Dicionários Oxford foi “pós-verdade”. Combinado ao conceito de “notícias falsas”, estão sendo levantadas questões que atingem o cerne do jornalismo livre, independente e profissional.

Tudo isso ocorre em um momento no qual uma mídia livre, independente e pluralista nunca foi tão importante, para empoderar cada mulher e cada homem, fortalecer a boa governança e o Estado de direito, e fazer avançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável – em especial o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 16: “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à Justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”. A mídia deve ser não apenas uma fonte de informações confiáveis – ela deve fornecer uma plataforma para uma multidão de vozes e mobilizar novas forças para a tolerância e o diálogo.

Os riscos são claros. Nós precisamos de um jornalismo original, crítico e bem fundamentado, orientado por altos padrões profissionais e éticos, e por uma educação em mídia de qualidade – juntamente com públicos que tenham as habilidades adequadas em alfabetização midiática e informacional.

A UNESCO lidera este trabalho em todo o mundo, a começar pela defesa da segurança dos jornalistas. Com muita frequência, o assassinato continua a ser a forma mais trágica de censura – em 2016, 102 jornalistas pagaram esse altíssimo preço. Isso é inaceitável e enfraquece as sociedades como um todo. É por isso que a UNESCO lidera o Plano de Ação das Nações Unidas sobre a Segurança dos Jornalistas e a Questão da Impunidade com parceiros em todo o mundo.

Tempos críticos exigem mentes críticas. Hoje, eu chamo todos a aguçar sua mente para defender as liberdades que são essenciais para a justiça e a paz – essa é a mensagem da UNESCO para o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa de 2017.

terça-feira, 25 de abril de 2017

2 LIVROS QUE RETRATAM A SUJEIRA E O BANDITISMO NO PAÍS


O BRASIL ESTÁ DOMINADO POR QUADRILHAS DE POLÍTICOS CORRUPTOS. SÃO VERDADEIROS LADRÕES DE COLARINHO BRANCO QUE ATRAVÉS DE SUAS ATUAÇÕES NO CENÁRIO POLÍTICO DO PAÍS MONTARAM UM VERDADEIRO ESQUEMA DE ROUBALHEIRA, PILHAGEM E ATÉ ASSASSINATOS QUE FARIA A MÁFIA SE SENTIR INSIGNIFICANTE. ESQUEMA QUE SE FORTALECEU ATRAVÉS DOS ANOS E AINDA, DÁ AS CARTAS NO CENÁRIO POLÍTICO E ECONÔMICO DO BRASIL. SÃO IMPUNES E PARECEM ZOMBAR DAS LEIS POIS OS MAGISTRADOS NÃO TEM CORAGEM SUFICIENTE PARA AFRONTAR SEUS IMPÉRIOS. ESTES SÃO APENAS DOIS DE OUTROS QUE SERÃO APRESENTADOS AQUI COMO SUGESTÃO PARA A CONSCIÊNCIA. SÃO LIVROS CUJO CONTEÚDO É REPLETO DE FATOS COMPROVADOS POR DOCUMENTOS PÚBLICOS, LAUDOS PERICIAIS E MAIS UMA INFINIDADE DE CITAÇÕES DE FONTES INTERROGADAS PELA POLÍCIA FEDERAL, MP E PROMOTORIAS. INCRÍVEL É QUE MUITOS NOMES CITADOS SÃO DE CANALHAS QUE ESTÃO NA BERLINDA NOS DIAS DE HOJE E AINDA MANDAM NO PAÍS...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

LITTLE COLLOR E A PAULICÉIA DESVAIRADA


Parece um DÉJÀ VU...só que nada bom...

O prefeito de São Paulo completou 100 dias de governo com muitas polêmicas, atos premeditados, muita propaganda e demagogia. Faz nos lembrar de um gatuno que se tornou presidente da república e que se notabilizou por atos e atuações midiáticas sempre rodeadas de discursos mirabolantes e cheios de bravatas.



Primeiro polemizou com os grafiteiros mandando apagar, ou melhor, pintar de cinza, murais de artistas de rua reconhecidos no Brasil e no exterior. Recentemente admitiu que foi um ato precipitado e que merecia uma melhor analise sobre o que é pichação e o que é arte.

Os paulistanos metidos a moralistas saíram em sua defesa chamando os artistas de marginais e por aí vai. Pobre falsa elite que parece viver em outra realidade onde apagar pinturas é mais importante que melhorar o transporte, realizar obras contra enchentes, cuidar da segurança pública e da saúde. Isso fora outros problemas crônicos que a cidade apresenta a muitos e muitos anos, fruto da incompetência destes mesmos paulistanos que elegeram prefeitos como Kassab, Pita, Marta, Maluf, Haddad, Serra, Geraldo e outros picaretas. E olha que escaparam de Russomano, Enéas e Francisco Rossi.


Agora o "LITTLE COLLOR" disse que vai mudar o nome do bairro Bom Retiro, um dos mais tradicionais de São Paulo, para "Bom Retiro Little Seul". Só para agradar e atrair investidores coreanos a colocarem sua grana em São Paulo.

Porque não agradar os brasileiros interessados em investir na região ?
Porque não oferecer as mesmas facilidades que foram oferecidas aos coreanos ?

Revitalizar o bairro é papel da prefeitura; esta deveria promover debates com moradores e comerciantes para elencar as prioridades e nescessidades da região, e aí sim, facilitar para aqueles que estão dispostos a colaborar promovendo parcerias viáveis e de benefício para os envolvidos e para a população do bairro em geral.
O estado de São Paulo tem perdido sistemáticamente empresas que se mudam para outros estados devido às altas taxas e tributos praticados por aqui. E o que fazem é colocar a culpa sempre na guerra fiscal e na crise financeira do país. Somos o estado mais rico da nação...AQUI SE ARRECADA MUITO DINHEIRO, mas ao mesmo tempo, tudo que se ganha aqui se gasta aqui e isso não volta para o bem estar da população. São pedágios, altos impostos, IPTU, IPVA, tem de tudo...Mas tudo tem seu preço.

Pessoas acordam 4 da manhã para serem esmagadas no transporte até o seu trabalho. São assaltadas em plena luz do dia, mortas covardemente por uma escalada de violência que não tem fim e continuam pagando caro por isso. E tem ainda os que se gabam de morar aqui. A falsa elite que "SE ACHA" e está "SENTADA" em cima de uma gilete, pensa que é melhor ou mais inteligênte que os outros...mas paga caro, e vive cercada de grades nas casas e de boletos bancários para pagar.

Continuando com o LITTLE COLLOR, o cara, que mal chegou, começa a galgar cargos maiores sem mesmo ter feito algo de real valor social e estrutural na maior cidade do país. E para isso espalha uma imagem de bom moço, empreendedor e moralista. Tudo igual ao outro engomadinho. Até o papa ele tentou ver... E o papa não quis.

E São Paulo ?

Continua com os mesmos dramas de sempre e os debates entre os cidadãos são sobre pichadores, nomes de bairro, futebol e outras futilidades. Parecem cegos ao não perceberem o quanto a vida piorou por aqui nos últimos 25 anos. Preferem atacar nordestinos, negros e pobres e atribuir à eles a falência de um sistema político que agora arrastou seus queridinhos intocáveis para a mesma merda em que estão os outros canalhas demonizados por eles próprios.

E agora caros emergentes de araque ? A culpa é de quem ?

ADENDO : VEJA A MATÉRIA NESTE LINK :  http://paulosampaio.blogosfera.uol.com.br/2017/04/29/no-iguatemi-em-sp-publico-diz-que-greve-e-obra-de-lula-e-que-paulista-e-de-trabalhar/

SOBROU ATÉ PARA O RIO DE JANEIRO...

JIRAU E SANTO ANTÔNIO : RELATOS DE UMA GUERRA AMAZÔNICA


terça-feira, 4 de abril de 2017

SE GRITAR PEGA LADRÃO...NÃO FICA UM MEU IRMÃO


 Mais de 1.600 candidatos que disputaram as eleições em 2016 estavam com a "CAPIVARA" mais suja que pau de galinheiro. Ao todo, 1.658 candidatos barrados com base na Lei da Ficha Limpa ainda se apegam em recursos na Justiça eleitoral para reverter a situação. São políticos que foram considerados, em um primeiro julgamento, inelegíveis por terem condenações criminais, prestações de contas rejeitadas, mandatos anteriores cassados ou que renunciaram para fugir da cassação, entre outros motivos. Entre eles, 350 concorreram a prefeito, 156 a vice e 1.155 a vereador. Os dados são do portal Congresso em foco (ou em fezes).

A lista de meliantes (ops...candidatos) por estado pode ser conferida no link abaixo :

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/exclusivo-conheca-os-candidatos-que-cairam-na-lei-da-ficha-limpa/

Podem dizer o que quiserem mas em se tratando de políticos brasileiros alguém coloca a mão no fogo por eles ? O pior é que as desculpas já se tornaram chavão : difamação por parte de adversários, não tenho nada a ver com isso, nem conheço esse cara, toda grana foi declarada e por aí vai.

Em 2018 teremos outro pleito e com o cenário que está, infelizmente a abstenção ou anulação se mostram o melhor caminho. Pena que muitos deles continuarão mamando nas tetas já secas do povo e do Brasil.

A matéria não é de hoje, mas a CAPIVARA....


terça-feira, 28 de março de 2017

Uma força que não nos interessa


Um dos maiores picaretas do Brasil, através da central sindical que comanda e atrelado a outras centrais (UGT, NCST e CSB), reuniu-se com o presidente golpista michel temer (minúsculo mesmo)
com a proposta indecente de apoio as reformas da PREVIDÊNCIA e TRABALHISTA em troca da volta covarde de um imposto sindical que foi proibido de ser cobrado de nós trabalhadores pelo STF em fevereiro deste ano. A desculpa é que sem a cobrança covarde deste imposto (inclusive para não sindicalizados) os sindicatos no Brasil estariam quebrados e sem condições de atuar. A arrecadação destes canalhas no ano de 2016 chegou a 3,5 BILHÕES.

O presidente ficou de responder em outra reunião, assim que consultar sua equipe de corruptos e analisar os impactos negativos com a população. Os pelegos sindicalistas então acenaram com o cancelamento dos protestos contra o governo marcado para o dia 28 de abril.

Protestos que estão ficando cada vez mais pífios devido a falta de identidade dos movimentos que hora batem e hora afagam os políticos em geral. O que se vê nem de longe se compara a países como a ARGENTINA por exemplo, que brigaram e brigam, por muito menos do que vemos por aqui.

O artigo completo publicado pela Folha está aqui :http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/03/1869642-por-volta-de-contribuicao-centrais-oferecem-oposicao-menor-a-reforma.shtml

Obrigado ao meu parceiro de trampo Arnold que enviou o link da matéria

quinta-feira, 9 de março de 2017

8 de março - DIA INTERNACIONAL DA MULHER - MUITOS CONTRASTES E MUITO, MAS MUITO, AINDA A PROGREDIR


 Cerca de 200 milhões de mulheres e meninas em todo o mundo já foram vítimas de mutilação genital.

Muitos se perguntam como é viver com esse tipo de mutilação, passando por situações como urinar, menstruar ou ter um filho.

"A primeira vez que você nota que seu físico mudou é quando você faz xixi", diz a somali Hibo Wardere, de 46 anos.

Hibo tinha apenas seis anos quando foi submetida ao que a OMS (Organização Mundial da Saúde) classifica como mutilação "tipo 3".

 Nesse tipo de procedimento, os lábios vaginais são cortados e costurados, sendo reduzidos a apenas um buraco minúsculo que Hibo compara ao tamanho de um palito de fósforo. O clitóris também é removido.

Ela cresceu na Somália, onde 98% das mulheres entre 15 e 49 anos foram submetidas à mutilação genital.

'Ferida aberta'

"Uma ferida aberta na qual esfregaram sal ou pimenta ─ era isso que parecia", é como Hibo descreve a sensação ao urinar.

"Então você percebe que a urina não está saindo da forma como costumava sair. Sai em gotinhas e cada gota é pior do que a anterior. Todo o processo dura quatro ou cinco minutos, mas a dor é horrível."

Hibo mudou-se para o Reino Unido quando tinha 18 anos e, meses depois de chegar, foi a um médico para tentar atenuar o problema.

Sem saber falar inglês, Hibo recorreu a um tradutor, que se negou a traduzir o que ela dizia. Mesmo assim, o médico conseguiu entendê-la.

Hibo então passou por uma cirurgia chamada defibulação, que amplia a abertura vaginal.

A solução não é definitiva, tampouco restaura a sensibilidade do órgão. Mas, segundo Hibo, o procedimento aliviou as dores que sentia ao urinar.

Bloqueio e trauma

Sexo também era um obstáculo, afirma ela.

"Mesmo se o médico abriu você, o que sobrou é um espaço minúsculo", relata.
 "O que deveria se expandir já não está mais lá. Então o buraco que você tem é muito pequeno e sexo é muito difícil. Você tem prazeres mas é muito raro."

O trauma da mutilação também dificulta a vida de Hibo.

"Primeiro você tem um bloqueio psicológico porque a única coisa que você associa com aquela parte de você é a dor", conta.

"A outra parte é o trauma que você passou. Então qualquer coisa que esteja acontecendo lá embaixo você não vê como algo bom", acrescenta.

Números divulgados em fevereiro deste ano pela Unicef, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, estimaram em 200 milhões o total de mulheres vítimas de mutilação genital em todo o mundo. Indonésia, Egito e Etiópia concentram metade das vítimas.

No Reino Unido, a mutilação genital feminina foi proibida desde 2003. Em 2015, o governo introduziu uma nova lei exigindo que profissionais de saúde denunciem à polícia casos da mutilação em menores de 18 anos.

Ativistas e polícia estão alertando a população sobre o risco de estudantes britânicas estarem sendo levadas para fora do país especificamente para serem submetidas à mutilação.

Trata-se da chamada "temporada de corte", que ocorre normalmente no meio do ano (durante as férias escolares).

Pouca informação

Pouco se sabe sobre como as sobreviventes da mutilação enfrentam as sequelas deixadas pelo procedimento.

São amplas as consequências de uma mutilação que em alguns casos envolve a remoção do clitóris (tipo 1), a remoção do clitóris e dos pequenos lábios (tipo 2), remoção dos pequenos e grandes lábios e um estreitamento da abertura vaginal, geralmente, como no caso de Hibo, com a remoção do clitóris também (tipo 3), ou qualquer tipo de mutilação genital (algumas vezes chamadas de tipo 4).

Os sintomas não são discutidos abertamente.

Segundo Janet Fyle, conselheira de políticas para o Royal College of Midwives, especializado em obstetrícia, isso acontece, em parte, porque a mutilação genital feminina é tão normal em algumas comunidades que as mulheres não encaram como um problema.

Além disso, elas não associam as várias complicações de saúde que têm com o procedimento a que se submeteram na infância, acrescenta Fyle.

A rotina para as sobreviventes pode ser triste. De acordo com o NHS, o SUS britânico, essas mulheres ficam mais suscetíveis a infecções urinárias, infecções uterinas, infecções renais, cistos, problemas de fertilidade e dor durante relações sexuais são apenas algumas das consequências.

A cirurgia para "reverter" a mutilação, como a defibulação às vezes é chamada, pode ajudar a aliviar alguns dos sintomas.

Mas Fyle, que é de Serra Leoa ─ um país onde a mutilação genital feminina é uma prática comum ─ afirma que o cuidado não é tão simples e pode envolver várias equipes médicas.

"A cirurgia está ligada às consequências (psicológicas) de longo prazo ─ algumas pessoas descrevem como sendo pior do que transtorno do estresse pós-traumático que (geralmente) afeta soldados que estiveram no campo de batalha", explica.

Gravidez

Quando ficou grávida em 1991, aos 22 anos, Hibo diz ter ficado aflita com a ideia de que médicos e enfermeiras olhavam sua genitália, que havia sido alterada.

"Lembro de pegar um travesseiro e colocar na minha cara pois não queria sentir a humilhação, a dor. Saber que todos aqueles olhos iriam me olhar era demais", lembra.

Durante o parto, ela teve flashbacks do momento em que foi mutilada ─ uma experiência comum entre as sobreviventes.

Na época, ela era a primeira sobrevivente de mutilação genital feminina atendida pelos funcionários do hospital de Surrey, no sudeste da Inglaterra. Nem ela e nem os profissionais de saúde sabiam como tornar o parto mais fácil.

"Antes que eles pudessem pensar no que iria acontecer e como fariam o parto do menino, meu filho veio. Eles tiveram que me cortar. Meu filho na verdade cortou partes de mim também pois ele veio com muita força", lembra Hibo.

"Eles ainda estava muito chocados e não sabiam o que fazer comigo. Foi horrível e acabei precisando de muito tempo para me recuperar", acrescenta.

Apesar da experiência, Hibo ainda teve outros seis filhos e os partos seguintes foram bem menos traumáticos. O segundo filho nasceu graças a uma cesariana e ela elogiou o serviço de saúde pública britânico pela conscientização e apoio às vítimas de mutilação.

Apoio

Hibo diz acreditar que foi graças ao apoio do marido, Yusuf, que conseguiu falar abertamente sobre a mutilação genital feminina.

Mas tanto o casal quanto a família não conseguiram escapar do tabu envolvendo a prática.

A decisão de Hibo de protestar contra a mutilação genital feminina prejudicou o relacionamento entre ela e sua mãe.

Foi a mãe de Hibo que a levou para ser mutilada, reforçando uma crença muito comum na cultura do país de que a prática é essencial para a reputação de uma jovem e suas futuras chances de casamento.

"Minha mãe me amava e ela fez isto por amor", resigna-se Hibo.

"Ela pensou que estava me protegendo. Pensou que estava protegendo a honra da família. Ela mesma foi uma vítima ─ e a mãe dela, e a avó dela. Gerações passaram pela mutilação genital feminina e não viram nada errado", diz.

"Elas pensavam que se não fossem cortadas, iam ficar faladas, iam ser estigmatizadas, ninguém iria se casar com elas. Você será vista como alguém que fica com muitos homens. Era uma proteção para elas e também para a família", acrescenta.

Hibo e a mãe conseguiram se reconciliar antes de ela morrer. Mas seus sogros não aprovam a decisão do casal de não submeter as três filhas à mutilação.

"Eles acreditam que fiz algo errado para as crianças, eles se perguntam sobre (o destino das) minhas filhas ─ quem vai casar com elas?", disse Hibo.

"E aqui estou eu, pensando: 'Eu me importo com a parte do casamento ou me importo com a saúde delas? Quero que elas sofram o mesmo que eu sofri? Quero que elas passem pelo que passei?' De jeito nenhum."

Hibo Wardere escreveu um livro a respeito de sua luta, Cut: One Woman's Fight Against FGM in Britain Today (Corte: A Luta de uma Mulher contra a Mutilação Genital Feminina na Grã-Bretanha de Hoje, em tradução livre).

Em um dos trechos, ela descreve o choque de ver pela primeira vez o que tinha sobrado de sua vagina, algo que lhe "tirou o fôlego".

"Nenhuma proteção, nenhuma beleza, a área entre as minhas pernas parecia areia marrom escura na qual alguém tinha desenhado uma linha fina, então era como se alguém tivesse enfiado uma vara na areia, ali no fim da linha estava um buraco. Minha vagina".

"Eu podia ver que era um pouco maior do que tinha sido costurado originalmente graças ao médico que me abriu um pouco. Mas estava lá. A única pista de que eu era uma mulher. O resto da minha genitália tinha sido fatiada e jogada fora."

PARA NÓS FICA DIFÍCIL FAZER ALGO QUE POSSA AJUDAR A DAR FIM NESSA BARBÁRIE SECULAR. NOS RESTA APENAS DENÚNCIAR QUE TAIS FATOS ACONTECEM MUNDO AFORA. ENQUANTO ISSO, A REALIDADE DE NOSSAS MULHERES BRASILEIRAS, GUERREIRAS E VERDADEIRAS HEROÍNAS, TAMBÉM É DE SE ENVERGONHAR. A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER É FATO CORRIQUEIRO POR AQUI E POR MAIS À FRENTE QUE ELAS ESTEJAM DESSA ROTINA TRIBAL QUE PERMEIA A VIDA DAS MULHERES SOMÁLIS, AINDA ASSIM, SÃO NA SUA MAIORIA DESRESPEITADAS E TRATADAS DE MANEIRA INFERIOR. AGREDIDAS, EXPLORADAS  E POR FIM ASSASSINADAS MUITAS VIVEM UM INFERNO TÃO CRUEL QUANTO AS SUAS IRMÃS DO OUTRO LADO DO MUNDO.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Deixa o mato crescer em paz...



Borzeguim

Tom Jobim

É fruta do mato
Borzeguim, deixa as fraldas ao vento
E vem dançar
E vem dançar
Hoje é sexta-feira de manhã
Hoje é sexta-feira
Deixa o mato crescer em paz
Deixa o mato crescer
Deixa o mato
Não quero fogo, quero água
(deixa o mato crescer em paz)
Não quero fogo, quero água
(deixa o mato crescer em paz)
Hoje é sexta-feira da paixão
Sexta-feira santa
Todo dia é dia de perdão
Todo dia é dia santo
Todo santo dia
Ah, e vem João e aí vem Maria
Todo dia é dia de folia
Ah, e vem João e aí vem Maria
Todo dia é dia
O chão no chão
O pé na pedra
O pé no céu
Deixa o tatu-bola no lugar
Deixa a capivara atravessar
Deixa a anta cruzar o ribeirão
Deixa o índio vivo no sertão
Deixa o índio vivo nu
Deixa o índio vivo
Deixa o índio
Deixa (É fruta do mato) (Deixa)
Escuta o mato crescendo em paz (É fruta do mato)
Escuta o mato crescendo
Escuta o mato
Escuta
Escuta o vento cantando no arvoredo
Passarim, passarão no passaredo
Deixa a índia criar seu curumim
Vá embora daqui coisa ruim
Some logo
Vá embora
Em nome de Deus
É fruta do mato
Borzeguim, deixa as fraldas ao vento
E vem dançar
E vem dançar
O jacu já tá velho na fruteira
O lagarto teiú tá na soleira
Uirassu foi rever a cordilheira
Gavião grande é bicho sem fronteira
Cutucurim
Gavião-zão
Gavião-ão
Caapora do mato é capitão
Ele é dono da mata e do sertão
Caapora do mato é guardião
É vigia da mata e do sertão
(Yauaretê, Jaguaretê)
Deixa a onça viva na floresta
Deixa o peixe n'água que é uma festa
Deixa o índio vivo
Deixa o índio
Deixa
Deixa
Dizem que o sertão vai virar mar
Diz que o mar vai virar sertão
Deixa o índio
Dizem que o mar vai virar sertão
Diz que o sertão vai virar mar
Deixa o índio
Deixa
Deixa

Borzeguim é o nome dado a um sapato de cano médio, com cadarços trançados, também conhecido como "sapato de soldado". Esse calçado foi utilizado, com ou sem perneiras, pelas forças armadas brasileiras até a segunda guerra mundial, quando então foi substituído pelos coturnos.Ele é usado até hoje por bombeiros, policiais militares e outros profissionais que necessitam de um calçado resistente.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Holocausto Brasileiro (DOCUMENTÁRIO)



Documentário sobre as barbáries cometidas no hospital psiquiátrico de Barbacena, interior de Minas Gerais.

 “Milhares de mulheres e homens sujos, de cabelos desgrenhados e corpos esquálidos cercaram os jornalistas. (...) Os homens vestiam uniformes esfarrapados, tinham as cabeças raspadas e pés descalços. Muitos, porém, estavam nus. Luiz Alfredo viu um deles se agachar e beber água do esgoto que jorrava sobre o pátio. Nas banheiras coletivas havia fezes e urina no lugar de água. Ainda no pátio, ele presenciou o momento em que carnes eram cortadas no chão. O cheiro era detestável, assim como o ambiente, pois os urubus espreitavam a todo instante”.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Curumim - O Homem Que Queria Voar (DOCUMENTÁRIO)



Documentário sobre o brasileiro Marco Archer que foi fuzilado na Indonésia por tráfico de drogas.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Valdemiro $antiago... O cara de pau do ano



Primeiro ele foi esfaqueado em pleno culto... Com a graça do senhor ele escapou...
Percebeu que recebera um sinal divino para faturar um tostão...Aí ele pediu aos fiéis a modesta quantia de 8 MILHÕES... para cobrir os gastos com
o seu programa de TV por um mês... Arrecadou doze...

Agora estava descansando em seu humilde barco pelo litoral paulista e acabou
ficando a deriva e em mais uma obra divina, foi resgatado pelos bombeiros, verdadeiros anjos do senhor.

Este é Valdemiro Santiago, fundador da igreja mundial do sei lá o que...

Realmente um cara abençoado...e rico, muito rico. Só que às custas de pobres
almas, que ele garante, estarão ao lado do criador um dia destes...

Almas que enquanto estão por aqui, no mundo real, vivem uma vida de cão...
Sem barcos, sem passeios, sem rango e sem dinheiro.

Eita cara abençoado esse Valdemiro Santiago... um verdadeiro homem de deus...
mas que por garantia...faz fortuna no mundo dos homens

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

CHINESES AVANÇAM SOBRE SETORES ESTRATÉGICOS DO BRASIL


UM TIRO NO ESCURO

A estatal chinesa State Grid, maior elétrica do mundo, fechou a compra da fatia dos controladores da maior empresa privada do setor no Brasil, a CPFL Energia, em um negócio que pode ultrapassar R$ 25 bilhões.

Os chineses inicialmente apresentaram uma oferta de quase R$ 6 bilhões pela fatia da construtora Camargo Corrêa na companhia, que foi estendida aos demais controladores, que aceitaram o negócio, o que obrigará a State Grid a fazer uma proposta para aquisição das ações de todos os acionistas minoritários.

O bloco de controle da CPFL tinha como membros, além da Camargo, o fundo de previdência dos funcionários do Banco do Brasil, Previ, que anunciou adesão à proposta chinesa na sexta-feira; e Bonaire Participações e Energia SP FIA, que comunicaram suas decisões nesta quarta-feira.

O Bonaire, companhia de participações formada por fundos de pensão como Funcesp, Petros, Sistel e Sabesprev, disse que sua decisão refere-se somente às ações vinculadas ao bloco de controle; para os demais papéis, haverá deliberação assim que for apresentada nova proposta de compra pelos chineses.

Com atuação em geração, distribuição, comercialização e transmissão de eletricidade, a CPFL Energia possui 31,9% das ações em circulação no mercado.

A companhia apresentou receita operacional bruta de R$ 14,2 bilhões no primeiro semestre deste ano, com lucro líquido de US$ 473 milhões.

A State Grid chegou ao mercado brasileiro em 2010, com aquisições no setor de transmissão de energia que somaram quase US$ 1 bilhão, e tem investido fortemente no país desde então.

HOLLYWEED

E não é a primeira vez que isso acontece no local. Em 1976, Danny Finegood, fez exatamente a mesma coisa no dia 1 de janeiro.