segunda-feira, 9 de outubro de 2017

AIRTO MOREIRA - MISSA ESPIRITUAL (VÍDEO)



Natural de Santa Catarina, Airto mudou-se para Guarapuava com um ano de idade e, posteriormente, para Ponta Grossa, onde aprendeu canto, piano, violino, bandolim e teoria musical; em 1956, mudou-se para Curitiba.
Em 1962 integrou o Sambalanço Trio, juntamente com César Camargo Mariano e Humberto Cláiber. Entre 1966 a 1969 integrou o Quarteto Novo com Theo de Barros, Heraldo do Monte e Hermeto Pascoal e, no fim dos anos 1960, mudou-se para os Estados Unidos. Lá participou da gravação do álbum Bitches Brew de Miles Davis. na faixa Feio, que definitivamente o colocou no cenário da música internacional. Junto de sua esposa, a cantora Flora Purim, gravou vários álbuns e coproduziu diversos de seus trabalhos.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

ARÁBIA SAUDITA VAI PERMITIR QUE MULHERES PASSEM A DIRIGIR


A Arábia Saudita anunciou nesta terça-feira que vai passar a permitir que as mulheres possam conduzir, terminando com a polemica proibição que se tornou um símbolo global da repressão feminina naquele país ultraconservador.

A mudança vai ter efeitos já a partir de junho de 2018, anunciou a televisão estatal, ao mesmo tempo que decorria um evento em Washington, que realçou os danos que a proibição provocou à reputação internacional do reino da Arábia Saudita, ao mesmo tempo que espera que a medida beneficie as relações internacionais com outros países.

A Arábia Saudita é uma monarquia que segue a lei islâmica, assim como as deliberações de vários oficiais sauditas e representantes religiosos que, ao longo de dezenas de anos, basearam a proibição das mulheres conduzirem no fato de ser "inapropriado" e que os homens não saberiam como agir se vissem uma mulher a conduzir no carro ao lado.

Outros oficiais sauditas argumentaram que permitir que as mulheres conduzissem levaria à promiscuidade e resultaria no colapso da família e até que o ato da condução danificaria os ovários das mulheres (sem no entanto ter apresentado qualquer prova desta afirmação).

Há muito que era pedido  levantamento da proibição, naquele que era o único país do mundo que ainda não deixava que as mulheres conduzissem. O processo de reforma foi levado a cabo nos últimos anos pelo príncipe Mohammed bin Salman, de 23 anos, que tem levado a cabo várias mudanças na lei saudita para melhorar o reino a nível econômico e social.

Em termos econômicos, espera-se que a medida motive mais mulheres a trabalhar fora de casa, por não precisarem de contratar motoristas privados. Não está para já estipulado como vai ser feito o acesso às mulheres às aulas de condução, uma vez que as atuais infraestruturas não estão preparadas para dar resposta a um crescimento exponencial dos pedidos de cartas de condução.

leia mais : http://opiniaoenoticia.com.br/internacional/mulheres-na-arabia-saudita-uma-vida-de-opressao/

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A LENDA DA PERNA CABELUDA


A Perna Cabeluda é um lenda urbana originada na cidade de Recife (em Pernambuco) na década de 70. Essa lenda se espalhou por todo nordeste ganhando suas próprias versões em cada estado.

A origem  desta lenda envolve a história de um vigilante descrita pelo do escritor Raimundo Carrero  e sua divulgação ao radialista Jota Ferreira.  Afirma se que no programa de rádio foi divulgado o caso de um vigilante noturno que teria encontrado uma perna peluda debaixo de sua cama. A nota foi passada ao radialista pelo escritor Raimundo Carrero, cuja a brincadeira dizia que após uma noite de ronda, o guarda havia encontrado uma perna cabeluda debaixo da cama onde a esposa dormia, denotando que seria de um amante.

Porém a notícia foi interpretada pela população como uma criatura assombrosa em forma de perna animada e vários boatos de populares sobre a aparição foram relatados. Estes relatos geralmente diziam sobre ataques noturnos dentro de casas, onde a perna se escondia em guarda-roupas e debaixo de camas ou até mesmo surpreendendo pessoas nas ruas. Os ataques consistiam de chutes, joelhadas e pisadas, mas a perna fugia rapidamente dos locais em grandes pulos.

Estes ataques foram assuntos de alguns folhetos de cordel como "A Perna Cabeluda" de Tiúma e São Lourenço de José Soares,  "A Véia debaixo da cama e a Perna Cabeluda" de José Costa Leite e "A terrível história da Perna Cabeluda" de Guaipuan Vieira.
De tão popular, a Perna figurou em shows de Chico Science & Nação Zumbi, onde Chico dançava com uma perna de pano estufada que era lançada à plateia.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

terça-feira, 8 de agosto de 2017

O MAL QUE NOS FAZ (DOCUMENTÁRIO)



COMPREI DE UMA VEZ O "ABOMINOG" DO URIAH HEEP, O "NO MEAN CITY" DO NAZARETH E O "IF YOU WANT BLOOD..." DO AC/DC. QUASE CHAMARAM O EXORCISTA PARA MIM. DEU O MAIOR REBÚ FAMILIAR!!!